Pilha de cigarros espalhados pela mesa.

 

O glamour hollywoodiano dos anos 50 colaborou para a popularização do tabagismo, pois a mídia sempre obteve grande influência na população. Entretanto, com o passar dos anos e os avanços na área de saúde, o hábito de consumir cigarros diariamente se mostrou algo negativo que, além dos malefícios à saúde em diversos aspectos, causa dependência devido à grande quantidade de química presente em cada cigarro.

 

Muitas pessoas o utilizam como um escape para diversas questões ao longo do dia, outras o fumam por prazer. Nicotina e o alcatrão são alguns dos seus componentes mais conhecidos, porém, nessa bomba cilíndrica ainda encontramos monóxido de carbono, arsênico, amônia e diversas outras misturas químicas. Além disso, a fumaça tragada provoca alterações no organismo, o aumento da pressão arterial, dos batimentos cardíacos e a constrição dos vasos sanguíneos, o que resulta na maior vulnerabilidade a problemas cardiovasculares como infarto, angina e doenças coronárias, por exemplo.

 

Os reflexos do consumo são evidenciados também na nossa pele, fumantes possuem maior facilidade na formação de rugas faciais, especificamente marcas ao redor dos olhos e boca; a nicotina e demais químicos mancham os dentes; problemas com gengivite e perda de lentes dentárias são maiores; o afinamento e queda de cabelo é maior entre fumantes; ocorre uma redução na produção de colágeno na pele, além da dificuldade de cicatrização e, consequentemente, formação de marcas cicatriciais, entre diversos outros problemas que dariam uma extensa lista.

 

Homem quebrando cigarro.

 

Contudo, como todo quadro onde o consumidor desenvolve uma dependência do uso do produto, existem tratamentos efetivos para o tabagismo, tanto para casos mais intensos onde o paciente utiliza de cigarros há anos, quanto para fumantes passivos.

 

 

Abaixo, separamos algumas dicas que podem ser colocadas em pratica dentro de casa:

 

  1. Tente diminuir o número diário de cigarros de modo gradativo, você dificilmente irá conseguir parar de uma hora para a outra;
  2. Procure ajuda médica! Em alguns postos de atendimentos, existem grupos e até tratamentos, como adesivos de nicotina, para auxiliar as pessoas que decidem parar com os cigarros;
  3. Fumar pode afetar a capacidade respiratória, por isso, procure realizar atividades físicas leves, além de manter-se hidratado;
  4. Busque compreender os motivos que te levam a fumar, observe os seus comportamentos e aproveite esse processo para tentar se conhecer melhor;
  5. Evite ambientes com outros fumantes, passar pelo processo de parar de fumar e frequentar lugares onde o cheiro do cigarro é algo constante pode ser torturante;
  6. Tente substituir o cigarro na sua rotina: muitas pessoas fumam após comer, após as relações sexuais ou até mesmo tomando café, pela manhã. Pense em meios de suprir a sensação que o cigarro te proporciona;
  7. Modere o consumo de bebidas alcoólicas, o álcool serve como um dos principais gatilhos para o cigarro. Não substitua um vício pelo outro;
  8. Sempre tente outra vez! Nem todos conseguem parar de fumar na primeira tentativa, por isso, é importante manter o foco e, mesmo que fume no meio do processo, manter-se fiel ao propósito final.

 

Em todo caso, converse com um especialista ou grupos de apoio através das redes sociais. Esse momento é algo delicado e que pode mudar toda a sua vida, você não está sozinho!

 

Conheça a Sinclair Pharma: https://sinclairpharma.com.br/