COVID-19: O que você precisa saber

Após a aprovação do decreto que, por unanimidade, declara estado de “calamidade pública” no Brasil, é inevitável não nos apavorarmos com esse vírus tão inédito e de rápida propagação. Entretanto, alguns sintomas de doenças comuns como gripes, resfriados e rinite podem ser facilmente confundidos com alguns dos sintomas do COVID-19.

Para evitarmos desinformações e o compartilhamento de notícias falsas a respeito do assunto, contamos com o auxílio de um time de experts altamente qualificados da farmacêutica Sinclair Pharma. Separamos alguns pontos importantes para nos atentarmos e aprendermos a diferenciar alguns quadros.

 

COVID-19

Provocada pelo vírus Sars-Cov-2, o Covid-19 consiste em uma infecção respiratória que, inicialmente, vem acompanhada de febres e tosse seca, resultando em insuficiências respiratórias, em média, dentro de 01 (uma) semana.

Entre os sintomas estão: tosse seca, febre e fadiga. Também estão na lista de sintomas a congestão nasal, coriza, dor de garganta e cabeça, diarreias, cansaço e dificuldade para respirar.

Entretanto, existem casos onde as pessoas infectadas não apresentam todos os sintomas e, em quadros clínicos específicos, nenhum deles.

GRIPE

Sendo uma das infecções virais mais comum, provocada pelo vírus da influenza, a gripe comum inclui casos de febre, tosse e fadiga. Além de congestão nasal, coriza, dor de cabeça, garganta e dores musculares.

De acordo com especialistas, os sintomas devem ser monitorados e caso permaneçam leves podem ser tratados em casa.

RESFRIADO

Ao contrário da gripe, um resfriado comum pode ser provocado por muitos tipos diferentes de vírus. Este, por sua vez, apresenta sintomas bem mais leves como tosse, congestão nasal, coriza e dor de garganta.

RINITE

Síndromes respiratórias alérgicas, como no caso de rinite, ocasionada a partir da irritação e inflamação da membrana mucosa no interior da cavidade nasal são comuns.

Entre os sintomas estão espirros e congestão nasal, além de coriza, coceiras no nariz, olhos e garganta e também irritação nos olhos.

O recomendável é que, para evitar a proliferação de quaisquer infecções, as pessoas sigam as devidas recomendações:

– Manter distância, em média, de 01 metro de pessoas espirrando ou tossindo;

– Em casos de espirro e tosse, cobrir a região da boca e nariz com o antebraço ou lenços descartáveis;

– Lavar frequentemente as mãos, utilizando agua e sabão neutro ou antibactericida;

–   Utilização de álcool em gel 70% quando não puder realizar a devida lavagem das mãos. Em casos de quaisquer sintomas, é aconselhável o uso de mascaras para evitar, assim, a proliferação de vírus.

Segundo dados divulgados pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças da China, a expectativa é que aproximadamente 80% dos pacientes apresentem apenas sintomas leves. Dentre os grupos de risco estão incluídos idosos, diabéticos, hipertensos, pessoas com insuficiência renal crônica, pessoas com doenças respiratórias e cardiovasculares crônicas.

Mesmo pessoas assintomáticas são capazes de transmitir o COVID-19, portanto, atente-se as dicas, tome os devidos cuidados com sua higiene e lembre-se, se possível, opte por ficar em casa nesse período de quarentena. O melhor modo de conseguirmos passar por este período é nos precavendo!

 

 

Fontes: Organização Mundial de Saúde – OMS; Serviço Nacional de Saúde – NHS; Centers for Disease Control and Prevention – CDC