Você pensa que entende tudo sobre o universo dos preenchedores? Então, hoje, você vai se surpreender! Vamos fazer um pequeno teste? Das alternativas abaixo, quais você considera verdadeiras:

  1. O primeiro preenchedor cutâneo surgiu no final do século XIX.
  2. No começo do século XX, os produtos disponíveis no mercado podiam conter parafina e vaselina.
  3. Entre as décadas de 1960 e 1970, foram desenvolvidos os primeiros preenchedores com silicone.
  4. Somente em 1990 foram lançados os primeiros preenchedores baseados em ácido hialurônico.
  5. Há cerca de doze anos, começou a ser desenvolvido na Holanda um preenchedor realmente pioneiro: o Ellansé®. Primeiro bioestimulador de colágeno do mercado, o produto, que já foi lançado em diversos países, garante efeitos com duração máxima de até 4 anos.

Pois é. Ficou na dúvida? Mas, TODAS AS ALTERNATIVAS ESTÃO CORRETAS!!!

Mesmo após analisar as proposições e saber que são verdadeiras, você consegue se imaginar aplicando um produto elaborado com parafina, vaselina ou silicone em seu rosto? É assustador, se trouxermos a prática para os dias atuais. Mas, é bom lembrar que estes elementos foram os precursores de tudo o que vemos de mais moderno.

Ao longo dos anos, os preenchedores foram sendo aprimorados, por meio de intensos estudos clínicos e, com isso, se tornando mais eficazes e, sobretudo, altamente seguros para o paciente. Como em todos os campos relacionados à medicina, seja ela estética ou não, a evolução dos insumos e técnicas tem sido muito rápida e, realmente, extraordinária.

No mercado de preenchedores, a novidade que vem revolucionando o setor é o Ellansé®, desenvolvido pela Sinclair Pharma. O produto, que já é uma febre na Europa e chegou ao Brasil em 2018, é conhecido como o primeiro de uma nova classe de preenchedores que, além de corrigir com naturalidade volumes, contornos e definições do rosto, é capaz de estimular a produção de colágeno pelo próprio organismo. Tudo graças ao policaprolactona, que, ao ser injetado, inicia o processo de bioestimulação. Além disso, os efeitos do produto podem durar até 4 anos, algo realmente inédito. No Brasil, estão disponíveis quatro versões: com efeitos de duração contínua de 1 ano (Ellansé-S), 2 anos (Ellansé-M), 3 anos (Ellansé-L) e até 4 anos (Ellansé-E).

Segundo Dr. Alieksiei Carrijo, cirurgião plástico e gerente médico da Sinclair Pharma, a aplicação é bastante simples, pode ser realizada no consultório e dura, em média, 30 minutos. “Os resultados também são rápidos, com baixos riscos para a saúde e possibilitam o retorno praticamente imediato às atividades cotidianas. E o pós-procedimento é muito suave. As recomendações consistem em evitar banhos quentes, abrir mão de exercícios físicos vigorosos durante 24 horas e evitar a exposição solar direta por 7 dias”, explica.

Mas antes de optar pelo procedimento, é importante que o médico responsável pela aplicação faça o devido diagnóstico. “É imprescindível realizar uma avaliação criteriosa, valorizando as características e indicações de cada paciente”, aconselha o especialista.

Para mais informações, acesse: sinclairpharma.com.br.

Fontes de pesquisa: “Tratado de Cirurgia Dermatológica, Cosmiatria e Laser da Sociedade Brasileira de Dermatologia”, por Bogdana Kadunc, Eliandre Palermo, Flavia Addor, Leandra Metsavaht, Luciana Rabello, Roberto Mattos e Sarita Martins (Editora Elsevier) e portal Piel-Latinoamericana Libreria.