Procedimentos estéticos: o que preciso saber?

A busca por procedimentos para  rejuvenescimento da pele vem ganhando, a cada ano, mais apoio da tecnologia e de tratamentos minimamente invasivos, que têm o papel de colaborar com a saúde da pele por meio de hidratação e bioestímulo de colágeno, por exemplo.

Mas, na hora de escolher procedimentos para rejuvenescimento, o que é necessário saber? Quais são as perguntas que devemos fazer a nós mesmos e aos especialistas antes de começar? O Blog Na Minha Pele conversou com a dermatologista e speaker da Sinclair Pharma, Tânia Vilela para saber quais são os detalhes que não podem passar em branco. Confira:

Por que estou escolhendo esse procedimento para rejuvenescimento?

De acordo com a dermatologista, é importante que o desejo seja, de fato, da pessoa. “Quando escolhe um tratamento estético, a pessoa precisa ter essa vontade por ela mesma, não pode ser algo que incomode alguém ou por ser uma tendência do momento”.

Qual é o tempo de recuperação? Precisarei me afastar das minhas atividades?

Para a especialista, essas perguntas são fundamentais. “O paciente precisa se preparar para o procedimento. Alguns permitirão manter a rotina  diária,  mas outros vão exigir evitar atividade física e afastamento do trabalho. O tempo vai depender do procedimento realizado e somente o especialista poderá informar corretamente quais são os cuidados necessários”.

Quais são as contra indicações desse tratamento? Que exames devo fazer?

Ter orientação antes de realizar um procedimento estético é imprescindível. Isso porque sempre que houver qualquer contra indicação ou risco, o profissional poderá indicar os exames prévios que garantem a segurança do paciente. Segundo a Dra. Tânia, o sucesso do tratamento está ligado a um diagnóstico bem feito.

Qual é o melhor tipo de procedimento para mim?

A médica explica que nem sempre o que é indicado para uma pessoa será também para outra. “Cada pessoa é única e deve ser avaliada individualmente”, diz. A especialista lembra que há características específicas na estrutura do rosto de cada paciente e que características devem ser respeitadas na hora de fazer um tratamento para rejuvenescimento.

Procedimento estético: o que perguntar ao dermatologista

Que resultados eu quero com procedimentos para rejuvenescimento?

Outro ponto a ser pensado na hora de escolher um tratamento para rejuvenescimento, é alinhar a expectativa com a realidade. Entender quais são os resultados que podem ser alcançados e os que são inatingíveis é uma prioridade. “Cada indivíduo responde de uma maneira diferente ao mesmo tratamento. Por isso, o profissional que estiver fazendo o procedimento precisa orientar o paciente e explicar quais são os resultados possíveis”.

Em quanto tempo terei resultado?

Alguns procedimentos têm resultados imediatos e se prolongam por um tempo, como o Ellansé, um bioestimulador que permite que os resultados sejam vistos imediatamente, mas que continua agindo por meses, além de ser um procedimento minimamente invasivo, rápido e que permite ao paciente continuar com sua rotina.

Para a Dra. Tânia Vilela, esta é uma pergunta muito pertinente e que deve ser feita pelo paciente. “Existem aqueles procedimentos com resultados visíveis nos primeiros dias e outros que levam alguns meses para alcançar o ápice do efeito desejado”, explica.

Quanto tempo vai durar este resultado?

São inúmeros fatores que fazem com que as pessoas envelheçam de maneira diferente. Eles podem ser internos, como a hidratação e produção de colágeno ou externos como a exposição ao sol, maquiagem e poluição. De acordo com a dermatologista, mesmo com essas diferenças, é possível ter uma previsão da duração dos resultados que o médico deve informar ao paciente.

Quais são os riscos desse tratamento?

Conhecer os riscos e benefícios dos tratamentos escolhidos antes de se submeter a um procedimento é um passo importante. “Por mais que os tratamentos estéticos sejam modernos e tragam cada vez menos riscos, é fundamental ter orientação sobre suas ações e possíveis eventos adversos”, diz a dermatologista.

O produto é absorvível?

Apesar de parecer uma pergunta muito técnica, a profissional alerta que essa questão não pode passar em branco, uma vez que os produtos absorvíveis são mais seguros para os pacientes e apresentam menos complicações.