A principal causa das cicatrizes são lesões ou traumas na pele. Algumas podem apresentar aspecto mais superficial e outras são mais incômodas, como as hipertróficas. As cicatrizes no rosto, por exemplo, podem ser produto de lesões causadas pela acne e incomodam aqueles que sofrem com o problema. Felizmente, com o avanço da tecnologia, há cada vez mais tratamentos à disposição para evitar e tratar essas marcas.

O uso de bioestimuladores de colágeno, como o Ellansé, e de preenchedores de ácido hialurônico, como o Perfectha, têm sido, cada vez mais, sugeridos por médicos e especialistas na saúde da pele. Em comum, ambos têm a capacidade de devolver a jovialidade e o aspecto saudável da pele, além de serem fabricados com tecnologia de última geração pela Sinclair Pharma.

Mas, como usar produtos desse tipo em cicatrizes no rosto? Conversamos com o dermatologista e speaker da Sinclair Pharma, Dr. Gabriel Aribi, para entender melhor como os pacientes que sofrem com a acne podem garantir a melhora dessas marcas e, também, preveni-las. Confira:

Como tratar as cicatrizes no rosto causadas pela acne

O dermatologista explica que uma das modalidades mais utilizadas pelos médicos, atualmente, é o tratamento com preenchedores de ácido hialurônico menos denso, que, aplicado de forma subcutânea superficial colabora com a melhora do aspecto estético das cicatrizes porque, além de melhorar a hidratação da pele, também faz a sustentação do tecido abaixo da cicatriz.

O uso de bioestimulador de colágeno, por sua vez, é recente, mas já apresenta resultados positivos em pacientes que possuem cicatrizes no rosto. De acordo com o dermatologista, a aplicação desses produtos faz com que o corpo passe a produzir mais colágeno e, por consequência, a melhora da hidratação da pele e a aparência das marcas causadas pela acne, por exemplo.

É importante lembrar que os resultados dependem de uma série de fatores. Pessoas com cicatrizes mais profundas tendem a precisar de mais de um tratamento associado, já aquelas com marcas mais superficiais podem recuperar o aspecto saudável da pele com mais rapidez.

O que fazer quando se tem acne

Para aqueles pacientes que têm acne e querem evitar cicatrizes futuras, a recomendação é sempre, em primeiro lugar, consultar um dermatologista. Para o Dr. Aribi, é fundamental que o médico faça uma avaliação do grau de acne e com isso possa recomendar tratamentos complementares entre si, como o uso de injetáveis, cosméticos propriamente receitados e uso de aparelhos como lasers e outras tecnologias.

O dermatologista também faz um importante alerta: nada de espremer cravos ou espinhas. Segundo ele, o simples ato de mexer em um cravo pode acarretar em consequências sérias, pois essas lesões acabam inflamando ou infeccionando, aumentando o local de trauma na pele e gerando marcas mais difíceis no futuro.

A recomendação do médico é que as pessoas que sofrem com a acne, independente da idade, tenham cuidados especiais com a pele, como o uso de protetor solar regularmente e evitando alimentos derivados do leite, carne vermelha e dietas hiperglicêmicas, ou seja, aquelas ricas em carboidratos e açúcar. A regulação da oleosidade da pele, por sua vez, também é fundamental e, para isso, somente um dermatologista poderá recomendar medicamentos via oral ou cremes tópicos de acordo com a gravidade do caso.

As cicatrizes no rosto em adolescentes

A adolescência é, de fato, uma fase de mudanças no corpo. Os hormônios a mil e as consequências podem se revelar na pele. A acne é uma das queixas dos adolescentes para os dermatologistas. Nesses casos, para evitar que essa fase deixe cicatrizes no rosto, o segredo é ir o quanto antes ao médico e tratar o problema preventivamente.

“Os adolescentes ainda estão numa fase que ainda haverá mais lesões ativas, por isso, prevenir será o melhor caminho. Para essa faixa etária, a recomendação é o uso constante de filtro solar, que evitará manchas e que essas marcas fiquem mais avermelhadas ou arroxeadas. E, novamente, nunca espremer espinhas, pois isso é o que mais causa cicatrizes”, finaliza o médico.